LIVRO DAS ALMAS - grupos espirituais

LIVRO DAS ALMAS - grupos espirituais

Livro das Almas

Grupos espirituais

 

Estudos indicam que as almas gémeas não se limitam a um determinado par que, ao se encontrarem poderão ser felizes para sempre.

É errado, julgar-se que “aquela” outra parte da laranja vai aparecer e possibilitar-nos a felicidade para sempre numa união conjugal ou marital obrigatória.

O mito da alma gémea ou da meia laranja, não passa portanto de uma forma simplista de ver as coisas.

Existem, de facto, almas gémeas. Mas não da forma como se tem “vendido” a ideia de que, após a divisão de um ponto de luz em duas partes iguais, esses dois pontos de luz semelhantes e complementares, aguardariam uma eternidade para se voltarem a encontrar, e aí, se fundirem num só, anulando-se.

Se fossemos divididos deixavamos de ser inteiros, passando a ser apenas metades de um outro, contrariando a própria ideia de que somos feitos à imagem e semelhança de Deus.

Ora se Deus não é metade de algo, também nós não somos.

Fundirem-se num só é justamente o que nunca poderá acontecer, a “INDIVÍDUOs” ou SERes únicos que somos todos nós.

Daí a existência do EU.

Então EU, deverei continuar a sê-lo, mesmo depois de ter cumprido as várias missões na terra, que totalisam 89 num período de 5.500 anos.

Ciclicamente são “enviados” novos SERes que, após as várias encarnações em processos distintos de tempo e de aprendizagem individuais, completarão 89 reencarnações num periodo de 5.500 anos.

Quantos de nós já ouviram ou disseram que esta vida não passa de um laboratório?

Pois! Estamos de facto num laboratório, cujas experiências nós nos comprometemos a realizar, de cada vez que reencarnamos. Experiências distintas de cada vez que cá voltamos.

Envelopes humanos distintos, vidas distintas, provavelmente mundos sociais, politicos, económicos distintos, num envelope que caracteriza o HUMANO que somos todos nós.

Mantemos dentro e em cada um de nós, algo imutável. O SER.

Pontos de luz que somos, recebemos um envelope, a que chamamos corpo à chegada e devolvemo-lo (o corpo) quando partimos no fim de mais um período de vivência na qualidade de SER es HUMANOs que somos.

Se quisermos resumir ainda mais é assim: recebemos um corpo emprestado à nascença e devolvêmo-lo à partida, ao regressarmos ao eterno.

De facto, tudo quanto acumulamos nesta vida, inclusive os corpos mais ou menos esbeltos, mais ou menos saudáveis, teremos de devolver à partida desta vida por ocasião da morte física.

SER e HUMANO, são portanto coisas distintas.

SER é a nossa mente, a nossa alma, a nossa essência à semelhança e imagem de DEUS.

HUMANO é caracterizado pela parte carnal ou seja, o envelope de que nos revestimos.

Neste momento estão identificados alguns grandes grupos de EUS, grandes grupos de seres completando cada um, um número próprio de reencarnações.

Dentro de cada um desses grupos, há portanto um conjunto enorme (milhares de milhares) de almas gémeas ou semelhantes e não metades, tantas quantas foram libertadas em simultâneo, tendo sido o mundo tal como o conhecemos na actualidade “povoado” em fases distintas.

Destaco três Grupos Espirituais distintos:

O GRUPO ESPIRITUAL a que chamarei a seguir o Grupo Espiritual A, é constituído por todos quantos “hoje” ou nesta actual vida terrena completam 80 reencarnações.

Serão todos, portanto, almas gémeas uns dos outros.

O GRUPO ESPIRITUAL a que chamarei a seguir o Grupo Espiritual B, é constituído por todos quantos “hoje” ou nesta actual vida terrena completam 74 reencarnações.

Estes todos são, também, almas gémeas uns dos outros.

O GRUPO ESPIRITUAL a que chamarei a seguir o Grupo Espiritual C, é constituído por todos quantos “hoje” ou nesta actual vida terrena completam 55 reencarnações.

Com percursos distintos uns dos outros, em tempo, em aprendizagem e em evolução, todos os GRUPOS ESPIRITUAIS completam nesta fase, até 12.12.2012, de início de transição da ERA de Peixes para a ERA de Aquário, 80, 74 e 55 reencarnações, respectivamente para o primeiro, segundo e terceiro grupos. (*)

Coincidindo com a ERA de Peixes, apareceu um Messias a quem deram o nome de Jesus Cristo, cujo símbolo (o de um peixe) Ele adoptou. Até os Apóstolos eram pescadores, forma de vincular a ERA de Peixes a uma fase da História da Humanidade Terrestre.

É mais do que certo que um outro Messias virá dentro em breve, neste período de confluência.

Já se anuncia de várias formas e em várias latitudes, a vinda do Messias, de um novo Messias.

Passamos agora da ERA de Peixes para a ERA de Aquário.

O Grupo Espiritual A, esgotará o seu número de 89 reencarnações dentro de 500 anos. 

O Grupo Espiritual B, a partir deste momento, ainda tem mais 2.250 anos para cumprir mais 15 reencarnações.

O Grupo Espiritual C, mais jovem, tem a partir deste momento mais 2.900 anos para cumprir mais 34 reencarnações e aprendizagens distintas e sucessivas.

De cada vez que vimos a este mundo, fazêmo-lo com um “caderno de encargos” diferente.

É em função desse compromisso que escolhemos os pais, sobretudo a mãe, o local e o tempo de nascimento.

Se é certo que em casais formados dentro do mesmo grupo a escolha é pacífica, já nos casais formados (casais imperfeitos) por elementos de grupos distintos é sabido que nós escolhemos (quase sempre) sobretudo, a mãe que nos dará a vida.

Raramente nós escolhemos o pai e, quando o fazemos e se o fazemos, diz-nos a razão que não haveria outra forma de nos mantermos no “nosso” Grupo Espiritual, deixando passar uma oportunidade que poderia voltar a existir muitos anos ou décadas depois, prejudicando por extemporaneidade o cumprimento ou execução dos compromissos assumidos e registados naquilo a que chamo “Caderno de Encargos Espiritual”.

É perante um Conselho Cármico que assumimos esses compromissos.

É perante um Conselho Cármico que os renovamos.

É perante um Conselho Cármico que podemos aligeirar a nossa carga, deixando parte para depois.

É perante um Conselho Cármico que tentaremos acrescentar compromissos nesta vida com a esperança e o firme propósito de os conseguirmos ultrapassar e assim aligeirarmos ou assumirmos compromissos diferentes na nossa próxima vida.

 

Nascemos e foi, em função dos compromissos que prometemos cumprir perante o Conselho Cármico, que escolhemos a mãe, o local e a data de nascimento. Dados iniciais estes que nos vão acompanhar toda a vida.

E lembramos-nos?

Sim e em parte.

Quantas vezes chegamos a determinado local e nos parece já ali ter estado, mesmo tratando-se de um local ou de um país que visitamos pela primeira vez?

Quantas vezes em sonhos, dialogamos num idioma diferente do nosso e que nunca aprendemos ou tivemos algum contacto com ele? Em sonho parece-nos perfeitamente normal, acordamos e… num primeiro momento ainda nos lembramos do que dissemos noutro idioma e a seguir tudo se desvanece.

Os jovens sobre-dotados não são mais do que SERes que transferiram os seus conhecimentos de uma outra para esta vida.

Foram artífices, cirurgiões, pintores, músicos, matemáticos, químicos, pescadores e vêem mais uma vez a esta vida terrena “arrastando” todos ou parte dos conhecimentos que foram acumulando ao longo de vidas passadas.

Como funciona isto?

Uma explicação simples. Quando nós apagamos ou formatamos o disco rígido de um computador ou de qualquer outro suporte informático, voltamos a ficar com um suporte dito novo, virgem, em suma com as características de armazenamento de dados para que foi concebido na origem.

Aparentemente os dados foram todos apagados, e por isso o suporte informático poderá ser considerado literalmente limpo de dados anteriores.

No entanto, quando técnicos especializados analizam esses suportes conseguem detectar toda ou grande parte da informação que ali tinha sido depositada.

É assim que se passa connosco quando passamos de uma vida para outra no fenómeno da reencarnação.

Os dados ou conhecimentos adquiridos em vidas anteriores estão todos lá.

Só apenas alguns de nós consegue ter acesso à grande maioria desses dados. Os outros apenas vão tendo acesso insconsciente a determinadas informações a que não dão importãncia.

O Mundo vai acabar?

Claro que vai acabar.

Ele acaba todos os dias para aqueles que completam mais um ciclo de existência terrena.

E todos os dias isso acontece com muitos milhares de almas, SERes de Luz de um ou de outro Grupo Espiritual.

As análises feitas concordam em que determinado indivíduo faz quase sempre parte da “linhagem espiritual” ancestral da mãe que escolheu para lhe dar o SER nesta vida.

Sendo o “envelope” (HUMANO) determinado em função da genética física, o espírito (SER) é determinado pela genética espiritual (SERES DE LUZ que somos).

Somos portanto SERES em função da herança espiritual enquadrada no Grupo Espiritual a que pertencemos (com 80, 74 ou 55 reencarnações, neste momento e em fase de confluência de ERAS, respectivamente) e somos HUMANOS em função da herança genética física, sendo que esta última nos limita no cumprimento das tarefas e experiências que, antecipadamente, nos comprometemos a executar.

Alguns de nós, porventura por compromisso, evoluem e cumprem missões que tal como esta, visam o esclarecimento da humanidade em geral.

 (*) - A partir de 12.12.2012, cada grupo espiritual contará com seres com mais uma vida/encarnação, passando a haver SERes com 80/81, 74/75 e 55/56 encarnações, respectivamente para cada grupo atrás referenciado.

** - Saber a que Grupo Espiritual cada um pertence, é uma forma de salvaguardar ou garantir que estão tomadas, à partida, garantias que nos permitem escolher o par da nossa vida, o parceiro de negócios, vizinhos ou colegas com quem nos devemos ou não relacionar. 

Eventualmente, saber ou reconhecer o porquê de um relacionamento falhado, um negócio ruinoso, a altercação habitual ou constante com o vizinho do lado ou com determinado colega de trabalho.